Casamentos

 

 

        O casamento é uma vocação humana e divina, entendida como um chamado de Deus, que se transforma em sacramento de vida, em caminho de salvação e de santificação para o casal através de todos os dias da vida.

         O sacramento do amor cristão não é um simples contrato de vidas entre um homem e uma mulher, mas uma opção de vida em que os noivos consagram seu amor diante de si, de Deus, da Igreja e da comunidade cristã. É uma vocação humana e divina. Vocação entendida como um chamado de Deus, que se transforma em sacramento de vida, em caminho de salvação e de santificação para o casal através de todos os dias da vida.

         O amor entre um homem e uma mulher é compreendido como um chamado para viver e existir segundo a vocação de imagem de Deus no tempo. A partir de Cristo o amor dos casais é elevado à graça de sacramento, isto é, se transforma em fonte de santificação e de salvação na vida do homem e da mulher, um grande bem para a família, para os filhos e para toda comunidade cristã.

Para isto se faz necessário, antes de tudo, que o casal tenha a compreensão do valor e do sentido da vida humana, entendida sob os horizontes da fé cristã. Como criaturas humanas não somos apenas o resultado de um encontro circunstancial do espermatozóide com um óvulo, mas somos em primeiro lugar uma iniciativa de Deus que se tornou vida humana através do amor dos nossos pais. A Bíblia nos revela que Deus-Pai nos pensou desde sempre e para sempre. Em virtude dos méritos da redenção de Cristo fomos elevados à dignidade de filhos e de filhas de Deus, herdeiros e co-herdeiros da vida eterna. Somos em nossa natureza humana, filhos do tempo e herdeiros da eternidade.

         Sem esta compreensão, do sentido e da razão maior da vida humana, o amor cristão entre um homem e uma mulher tem pouca solidez para sobreviver e se realizar através das exigências do existir a dois num mundo marcado pelo relativismo dos critérios do ter, do gozar e do consumir em detrimento dos valores do ético, do ser e do existir.

          Os casais cristãos são assim, chamados a viver segundo sua vocação de imagens de Deus, que é um chamado e compromisso para toda vida através da vivência do amor mútuo, da partilha e da comunhão entre si, com os irmãos, com a criação e com o Deus Criador de tudo.

          Somente assim o amor dos casais se transforma em fonte inesgotável de vida na família e um grande bem para toda a Igreja de Cristo.

          Casar-se, portanto, é uma opção de vida, de vidas entre um homem e uma mulher, um chamado de Deus para toda vida, fonte de santificação e de salvação humana e divina.

         Sem dúvida, o total desconhecimento por parte dos casais sobre o verdadeiro sentido e significado do matrimônio cristão é uma das maiores causas da fragilidade dos casamentos atuais e da pouca paciência familiar de nossos tempos.

 

           “O pacto matrimonial, pelo qual o homem e a mulher constituem entre si o consórcio de toda a vida, por sua índole natural ordenado ao bem dos cônjuges e à geração e educação da prole, entre batizados foi por Cristo Senhor elevado à dignidade de sacramento” (CDC, Cânon 1055, pars. 1 e 2).

          O matrimônio é o sacramento que abençoa e consagra o homem e a mulher, num contrato sagrado e indissolúvel, para se amarem, procriarem e educarem seus filhos.

          No rito da celebração o único momento que não pode ser suprimido por nenhum poder humano, em hipótese alguma, é o do “Consentimento” (CDC, Cânon 1056, par. 1). “O consentimento matrimonial é o ato de vontade pelo qual um homem e uma mulher, por aliança irrevogável, se entregam e se recebem mutuamente para constituir o matrimônio” (CDC, Cânon 1066, par. 2). Na celebração matrimonial o “Consentimento” é o momento em que os noivos se dão as mãos e dizem um ao outro: “Eu, (próprio nome), te recebo (nome do/a noivo/a), por minha esposa(o), e te prometo ser fiel na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando‐te e respeitando‐te todos os dias da minha vida”. O assistente do Matrimônio conclui: “Deus confirme este compromisso que manifestastes perante a Igreja e derrame sobre vós as  suas  bênçãos. O que Deus uniu, o homem não separe” (Ritual do Sacramento do Matrimônio).

 

1 – Agendar entrevista com o padre

2- Realizar curso de noivos

3- Encaminhar processo matrimonial munido dos seguintes documentos:

- Documento de identidade dos noivos com foto

- Batistério